Transplante Osseo na Real

Um diario sobre o tema

Arquivo para Transplante de ossos

Transplante de ossos na midia

Midia abre espaco para doacao de ossos

Nesta sexta-feira, 14 de outubro, durante minhas ferias da Justica Federal, irei a Sao Paulo capital e Rio de Janeiro, tambem capital. Na bagagem, a expectativa de levar a possibilidade de qualidade de vida para mais e mais brasileiros! 

Transplante de ossos na agenda nacional
Na sexta, dia 14, irei conversar com os telespectadores do canal Tv Brasil Saude Net. Para conferir a gravacao e a data de veiculacao, fique atento ao link da web: http://www.saudebrasilnet.com.br/Serie-Saude-Brasil/canal-saude-brasil.html. 
O foco do bate papo sera o transplante de ossos: quem recebe osso, como entrar na fila de espera, onde conseguir o material e locais seguros para se operar, entre outras dicas. Mas tambem vou mostrar um pouquinho do meu “novo trabalho”: o livro “Fragmentos de vida”. E doar algumas ultimas unidades do Diario de um transplante osseo – na real, dois. 
Quem eh a Larissa? Apos tantas fraturas, gravida pela adocao, com sucesso profissional, tentarei responder: como ser uma mulher realizada, convivendo diariamente com a dor e as degeneracoes?

Mas o bate papo reflexivo continua no sabado, dia 17, em Sampa! As quatro da tarde, no Cafe Girondino, vou conversar um grupo de combate as doencas reumaticas, o EncontrAR, coordenado pela paciente Priscila Torres. Passe la e troque experiencias conosco! Informacao compartilhada e saude multiplicada!

Vida real
Mas do que adiantaria tudo isso se, vendo um brasileirinho sofrendo com dores por uma espondilite anquilosante, lupus ou qualquer outra doenca musculoesqueletica degenerativa, soubesse de tratamento adequado e nao o informasse do passo a passo? Pois eh… de nada, ne? Informar sem acao eh desinformacao. 

E eh justo por isto que vou a minha amada Cidade Maravilhosa! Quero acompanhar de perto a luta de um serzinho de 22 anos que nao anda desde os dois. Sera uma batalha ardua, mas algo la no fundo me diz que vai recuperar qualidade de vida. Aproveitarei a ida ao Rio para dar continuidade a minha revisao do quadril e femur, e a transferencia, a trabalho, para a Segunda Regiao.

VOCE EM PAUTA
Estou finalizando meu novo livro, Fragmentos de Vida, que traz poesia e cronicas, pensamentos, jornalismo. QUER PARTICIPAR? Mande um paragrafo com o tema saude e participe da selecao! Envie nome completo, idade e profissao, para possivel publicacao.

PETISCOS DA SEMANA

ULTIMAS UNIDADES! A livraria Cultura conta com oa ultimos exemplares a venda do livro Diario de um Transplante Osseo – na real, dois. Escrito por mim direto do hospital, o livro traz dicas sobre a convivencia com deficientes, com a dor e o dia a dia de uma cirurgia de transplante. O preco varia de 29 a 32 reais, em media. O site: livrariacultura.com.br. Basta inserir o titulo do livro ou nome da autora e o produto segue para o endereco solicitado.

QUADRIL: A Folha de Sao Paulo trouxe noticia sobre celulas tronco, escrita por Diana Brito, da sucursal Rio. Acompanhe trecho:
“Uma lesão no quadril, diagnosticada no final do ano passado, quase interrompeu a carreira do bailarino Cleber Fantinatti, 28, integrante da Companhia Oficial de Balé da Cidade de São Paulo.  Graças a um tratamento, ainda experimental, com células-tronco, Fantinatti recuperou-se e conseguiu participar de um dos espetáculos mais almejados por ele: a reabertura do Teatro Municipal de São Paulo, em junho. O procedimento foi feito pelo ortopedista carioca Carlos Bittencourt, 60, professor de ortopedia do curso de Medicina da UFF (Universidade Federal Fluminense). …”

ACESSIBILIDADE/DF: Dias 14 e 15 de novembro, no Centro de Convencoes da Capital Federal, uma feira com equipamentos e acessorios para pessoas com deficiencia ocorrera.

TRANSPLANTE de osso, de medula, de coracao, de pele… Doe vida! Quer saber mais? Acesse saude.gov.br e confira a lista de espera, os bancos de tecidos, a legislacao e outras estatisticas.

OMERACT: Nos proximos dias, comecam as inscricoes para o evento, a se realizar em maio de 2012 na Carolina do Norte, nos Estados Unidos. Mas voce sabe do que se trata? Outcome measures in Rheumatoid Arthrites Clinical Trials, traduzindo: Medidas Clinicas debatidas para tratamento de Artrites Reumatoide. Podem participar do evento medicos e pacientes com artrite, indicados. Eu representarei o Brasil na proxima edicao. Mande sugestoes para lalajansen@yahoo.com.br. 

Boa semana!
twitter:@lala_jansen

Anúncios

Será que temos mesmo o que comemorar?

No mês em que celebramos o dia nacional da doação de órgãos e tecidos, 27 de setembro, me pergunto: será que temos mesmo o que comemorar?

A verdade, inclusive ressaltada pelo ministro da Saúde em diversos eventos, e em diversas gestões: O Brasil lidera o índice mundial de transplantes de orgaos e tecidos bem sucedidos, em numeros absolutos e em cumprimento a orientacao da Organizacao Mundial de Saude (OMS), de gratuidade.

Mas continuo a me fazer a mesma pergunta de seis anos atras, quando descobri que precisava de um transplante de ossos, na realidade dois, para me manter viva e com qualidade de vida. Caso conseguissemos tratar as doencas no inicio, com qualidade e rapidez, nao poderiamos evitar tantos transplantes? Eu mesma, precisaria de um transplante, porem menor, se tivesse descoberto a tempo a necessidade do mesmo, onde e como conseguir o osso. Foi dessa realidade que decidi escrever o livro, caso sobrevivesse, Diario de um transplante osseo-na real, dois -, e lancar a campanha informativa permanente, em parceria com o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO).

Para comprar o livro acesse livrariacultura.com.br. O exemplar segue direto ao endereco solicitado, a um preco que varia de 29 a 35 reais, em media.

Na proxima edicao trarei dados fresquinhos sobre o transplante de ossos no Brasil, bem como a doacao de orgaos.

Ate la!

Larissa
lalajansen@yahoo.com.br

Petiscos da semana
1. O tema transplante osseo foi abordado no informativo da associacao de pacientes com doencas raras. O site eh amavi.org.br e para receber o informativo, virtual, e sem custo, basta enviar um e-mail para amavi@amavi.org.br.

2. Calendario da saude: Em homenagem ao dia 27, data nacional da Doaca de Orgaos, estarei distribuindo exemplares gratuitos do Diario de um transplante osseo – na real, dois, dias 23 (manha), 25 e 26, na Barra, no ponto da Praia para Todos – de incusao social. Dia 27, farei o mesmo no aeroporto Santos Dumont e no aeroporto Internacional de Brasilia, alem da sede do TRF1. Participe!

Setembro
01 – Dia do Profissional de Educação Física
05 – Dia Nacional de Conscientização e Divulgação de Fibrose Cística (Port. 1411/2001)
21 – Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência
22 – Dia Nacional da Juventude
27 – Dia Nacional da Doação de Órgãos (Lei 11584/2007)
30 – Dia da Secretária
30 – Dia Mundial do Coração

Confira!

PETISCOS DA SEMANA
1) Inclui PE: Pernambuco realiza evento sobre acessibilidade. Um exemplo para o Brasil. Acesse incluipe.com.br e saiba mais.

2) ONCOGUIA: inscrições para evento em SP ate 23 agosto. Acesse ONCOGUIA.com.br e saiba mais!
3) Por falar em oncologia, o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Rio de Janeiro, INTO, lança a Jornada Multidisciplinar de Oncologia Ortopédica. Informacoes e inscrições no site www.into.saude.gov.br
Data: 30 de Setembro de 2011
Horário: 8h às 17h
Investimento:
R$ 50,00

4) Tambem no INTO: IX Curso de Imersão em Artroplastia Total de Joelho
Datas: 1 e 2 Setembro de 2011. R$ 120,00 (Profissionais)
R$ 60,00 (Residentes). Vagas Limitadas!

5) Em Sao Paulo, O Hospital das Clínicas da FMUSP, ligado à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, vai mudar o troncos-chaves de suas centrais. Os novos números entram em substituição a partir da 0h de domingo, 21 de agosto. OPara o Hospital das Clínicas passa a valer o número (11) 2661-0000, em substituição ao 3069-6000. No Instituto do Coração, o telefone que passa a valer é o (11) 2661-5000. E no Instituto da Criança, o novo número será o (11) 2661-8500.

6) Em Brasilia, O Núcleo de Nutrição e Dietética do Hospital Regional da Asa Sul – HRAS, realizarános dias 23 e 24 de agosto o II Simpósio em Nutrição Pediátrica e o I Simpósio de Nutrição Materno Infantil. O Simpósio seráno grande auditório do HRAS, localizado à avenida L2 Sul, quadra 608, das 7h30 às 17h. Os interessados em participar podem se inscrever pelo email simposionutricaohras@yahoo.com.br.Núcleo de Nutrição/HRAS:3445.7721.

7) Ministro da Saude, Alexandre Padilha, responde nesta segunda, dia 22′ 22h, via tuitar#webradiosaude, perguntas dos internautas. Participe!

E vale lembrar: a venda em www.livrariacultura.com.br os últimos exemplares do Diario de um Transplante Ósseo, um guia para pessoas com deficiência e familiares.

Boa semana!

Andando na real…

“Que hei de fazer se de repente a manhã voltar?
Que hei de fazer?
— Dormir, talvez chorar”.
Manoel de Barros

Domingo de visita mais que especial na Capital Federal. Além de conhecer a bela Lili, rever Hele, querida amiga. Ideal pra citar Manoel de Barros, poeta da terra, certo? Vamos ao Cantinho da Lala desta semana! (…)

Na última segunda-feira, sentada no consultório esperando meu cirurgião me chamar pra vermos os raios x da cirurgia de redução de fratura do Fêmur, pensei: Como é possivel uma pessoa se submeter a cirurgias grandiosas para estética?

Naquele momento olhei ao redor e vi de criança a idoso buscando recuperar os movimentos e andar. Queriam apenas, como eu, a chance de viver com qualidade e sem dor.

Enquanto isso, vejo mulheres já muito bonitas querendo por silicone e aumentar os bustos; homens que bebem cerveja e demais bebidas alcoólicas sem limites usufruindo de uma lipoaspiração e demais técnicas para perder “gordura” localizada. Aí-aí. Espero que Sérgio ou Vitória compreendam que uma cirurgia sempre agride o corpo. E só deve ser feita em casos extremos. O amor pela gente e pelo outro vem da alma, da admiração. O corpo é um invólucro. Que deve ser cuidado com respeito e carinho. Mas por SAÚDE…

Como eu teclei semana passada, graças à Forca transmitida a mim pelo Ser Supremo, voltei a andar. CALMA! Risos. Apenas em casa.

Assim como descrevi no Diário de um transplante osseo, na real, dois – livro no qual relato minhas experiências com as cirurgias de transplante, voltar a andar exige disciplina, disciplina, disciplina.

A sensação de reaprender a andar pela sétima vez, em primeira mão? Uma forte pressão na sola do pé, cansaço extremo e muita força a ser posta nos braços, nas muletas. Quem quiser pode ver o vídeo dos primeiros passinhos, dados nessa terça-feira na Capital Federal, com minha fisioterapeuta Nanda.

Mas… Eis que, apesar de tudo parecer fluir ok, os calafrios e mal estar persistem. Nao tão ruins quanto semana passada, mas ainda estão aí. Procurei um infectologista amigo e que conhece bem meu corpo e … Assim como no livro, nos transplantes, parece que a boa e velha osteomielite ronda. Os leucócitos estão tocados na casa dos 12 mil, com direito a leucócitos reativos, bastões e segmentados com o triplo do normal. Mas… PCR e VHS continuam normais, lembrando que nós, que tomamos imunomoduladores para controle da artrite, muitas vezes temos infecção sem ter essas taxas alteradas.

O jeito é esperar pra ver e localizar: onde esta a infecção?

Enquanto isso? Continuo a curtir a “gravidez” do Sérgio, ou Vitória. Fico imaginando o rostinho dele, ou dela, pra ensinar, como diz Manoel de Barros, que o bicho-homem tem que respeitar a natureza, o rio, o mar. E amar. Somente isso! E que venham as conquistas e derrotas da semana, para seguirmos pro mar.

Bola dentro no Rio e Sampa…
01) A Secretaria de Estado de Saude (SES) do Estado do Rio de Janeiro, em parceria com a Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança; Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) e Núcleo de Lavagem de Dinheiro da Polícia Civil divulgaram, sexta-feira passada, resultados da Operação Saldo Zero. A operação resultou no mandado de prisão e na prisão de acusados de incluir mais de 40 funcionários fantasmas na folha de pagamento da Secretaria. “Após a descoberta no HEAPN (Hospital Estadual Adao Pereira Nunes), a SES começou um processo de verificação de presença com os gerentes de RH de todas as unidades e detectou outros 42 funcionários fantasmas na mesma situação”, explicou Pedro Henrique Di Masi, subsecretário Jurídico da SES. Segundo o subsecretário de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança, Fábio Galvão, a operação continua e não exclui a participação de outras pessoas. As investigações começaram em março. Os prejuízos à SES são da ordem de R$ 220 mil, mas o Ministério Público calcula que, até o fim do ano, os cofres públicos seriam lesados em até R$ 3 milhões caso a fraude não fosse descoberta. De acordo com Di Masi, não há possibilidade de o problema ter ocorrido em outros concursos temporários. Para blindar ainda mais o sistema de contratações da SES, a Superintendência de RH da secretaria, em conjunto com a ATI, desenvolve mecanismos de segurança para evitar problemas similares futuros. Segundo Di Masi, “estamos pesquisando acionar a Procuradoria para entrar com uma ação contra os acusados para ressarcir o erário”, finalizou.
Fonte: http://www.saude.rj.gov.br

02) Um verdadeiro “pente fino” feito pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo tem ajudado a prevenir que anticoncepcionais com defeito sejam distribuídos na rede pública paulista. Nos últimos quatro anos, pelo menos 1,3 milhão de unidades foram retiradas de circulação pela Vigilância Sanitária Estadual, com base em análises feitas pelo Instituto Adolfo Lutz, órgão da pasta.
Fonte: http://www.sp.saude.gov.br

Petisco 1
Gestao compartilhada: Termina nesta semana, dia 6/7, a Consulta Pública 43: Atualização do Padrão de Troca de Informação na Saúde Suplementar (Padrão TISS), da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). A sociedade poderá participar da consulta pública, que envolve, entre outros aspectos, questoes de ORTESES e PRÓTESES. Ate 6/7, quarta-feira, participe pela internet, em http://www.ans.gov.br.

Abrapar: Toda SEGUNDA, 14h30, tem encontro dos pacientes reumáticos na Capital Federal. Sempre na 912/4 sul, Clube Previ.
Fone: (61) 3425-2662

TRANSPARENCIA: Acesse o Portal Saude e confira como os Estados e Municípios vem utilizando os recursos federais na Gestão do Sistema Único de Saude.
Fonte: http://www.saude.gov.br

Ano novo, cirurgia nova

Neste domingo, 29 de maio, completei mais um ano de vida. E que vida!, com a graça de Deus!

Peço desculpas pelo longo período sem postar no Reumatoguia.com.br – Cantinho da Lalá – e aqui, no transplanteosseo.wordpress.com, mas sexta-feira, 20 de maio, passei por um dos dias mais dolorosos das pessoas que vivem com artrite idiopática juvenil: sofri uma queda, no trabalho, e acabei por fraturar o fêmur (Vejam o raiox da cirurgia ao lado e abaixo, na galeria de imagens). Sexta-feira fui atendida pelo SAMU que, aliás, merece todo o nosso parabéns. São ágeis, acalmam a gente e aliviam a dor de início. Aí o passo foi seguir pro hospital referência em traumatoortopedia. Detesto morar longe do polo de medicina onde me trato, pois precisei começar do zero a minha história. “Fratura, internação, cirurgia”, definiu em três palavras o meu destino o residente 01 que me atendeu. Só então percebi a gravidade da situação. Até então, acreditava que conseguiria seguir para o Rio de Janeiro. Nesse ponto de atendimento do SUS me deparei com a triste realidade: brasileiros que, pelo simples fato de não terem INFORMAÇÃO, são tratados como seres inanimados. O lamentável é que nos acostumamos a isto, pois apesar da frieza, tecnicamente esses residentes de SUS são altamente capacitados e deixam o paciente “curado”. O que nos faz engolir em seco e tocar o bonde. Deixando pra trás a triste realidade da desinformação.

Vi, na maca ao lado da minha e ainda na emergência, uma senhora fazendo exame de corpo de delito pois sofrera abuso sexual do marido e tinha deficiência mental. Outra mãe no desespero pois a filha fora atacada por um cão.

Por fim, após consultar a equipe que cuida de mim, optei por me operar em Brasília, dada a fratura ser um pouco grande. Todavia, num hospital particular, buscando conforto e atendimento pelo médico indicado pelos meu médicos.

Operei domingo e desde quinta estou em casa, com a graça de Deus.

Descobri que havia fraturado o fêmur em micropedaços diversas vezes e, daí, mais uma peculiaridade da artrite… Lesões minúsculas que não aparecem no raiox.
A única coisa que posso dizer é que continuo a amar a vida, a cada dia mais e mais. Quero adotar meu filhote, ou filhota – Vitória. E mostrar a ele/a o quanto vale a pena lutar pela vida.

Vejam fotos da cirugia e, abaixo, matéria da Folha de São Paulo alertando sobre ATQ – artroplastia total de quadril.

Em breve, edição 3 do Diário de Um Transplante Ósseo – na real, dois; o fêmur desaba na Capital Federal.

MATÉRIA DA FOLHA

EUA alertam para falta de segurança de prótese de quadril

Implante de metal solta partículas no corpo que podem causar alergias,
destruição óssea e até problemas renais

Agência americana pediu estudos aos fabricantes; no Brasil, Anvisa vai
acompanhar histórico de pacientes evolução dos pacientes

IARA BIDERMAN
DE SÃO PAULO

A segurança das próteses metálicas de quadril está sendo questionada por
instituições como a Associação Britânica de Ortopedia e a FDA, agência que
regula os produtos de saúde dos EUA.
Estudos indicam que essas próteses soltam uma quantidade de resíduos
metálicos potencialmente perigosa para a saúde.
“As minúsculas partículas soltas pelo desgaste do material podem causar
efeitos locais e sistêmicos [que afetam o corpo todo]”, diz o ortopedista
Luiz Marcelino Gomes, presidente da Sociedade Brasileira de Quadril.
Como efeitos locais, segundo o médico, os resíduos de cromo e cobalto
(material das próteses) podem provocar uma reação alérgica nos tecidos ao
redor do implante, causando dores, falsos tumores (sem células cancerosas) e
até destruição óssea.
Os efeitos generalizados estão relacionados à toxicidade dos metais. “Eles
podem afetar a função renal em pessoas predispostas, por exemplo”, diz
Gomes.
O risco de câncer associado a esses materiais está sendo discutido, mas
ainda não foi comprovado.
Segundo o ortopedista Emerson Honda, do hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo,
os níveis de metal no sangue das pessoas que usam essas próteses são 20
vezes mais altos do que os considerados normais.
Outros tipos de prótese, feitas com polieteno (material plástico) ou
cerâmica, levam uma capa de metal. Elas também soltam resíduos, mas em
concentrações menores.

CONTROLE
Nos Estados Unidos, a FDA pediu para que todos os fabricantes de próteses
metálicas de quadril apresentem mais estudos sobre a segurança do implante
ao longo do tempo.
Aqui, o acompanhamento das próteses e o monitoramento da sua qualidade devem
começar a ser feitos agora, segundo a Anvisa.
Em parceria com a Sociedade Brasileira de Quadril, a agência iniciou o
registro nacional de artoplastia [cirurgia do quadril], para seguir a
evolução dos pacientes.
No Brasil, são colocadas por ano cerca de 30 mil próteses, de todos os
materiais, contra 250 mil nos EUA.
Os tipos mais usados são os implantes com polieteno, que têm a desvantagem
de durarem menos tempo, e os de cerâmica, que duram mais, mas podem quebrar.
“Não existe prótese que seja o substituto ideal do osso”, afirma o
ortopedista Moisés Cohen, presidente da Isakos (Sociedade Internacional de
Artroscopia, Cirurgia do Joelho e Medicina Esportiva Ortopédica).
Para Cohen, os implantes feitos totalmente de metal podem ser uma opção para
os mais jovens. “Essas prótesestêm uma estabilidade que permite a prática de
atividades de maior impacto.”
O problema é que, quanto mais mais jovem o paciente, mais tempo as
substâncias tóxicas circulam em seu organismo. “Ainda não sabemos quais são
as consequências a longo prazo que os resíduos metálicos podem causar”, diz
Honda.
Na avaliação do ortopedista Lafayette Lage, especializado em próteses de
quadril para atletas, o problema não está no material, mas sim na técnica
cirúrgica. “Se a prótese é colocada com inclinação errada, vai ter liberação
de metais. Por erro de colocação, esse material está sendo crucificado.”

Único banco de ossos 1oo% gratuito do Brasil bate recorde de doações

Banco de Tecidos[1]

Localizado no Rio de Janeiro, o Into (Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia) já pode, inclusive, remeter osso para outros estados do Brasil.

Campanha da Saúde

Desde que eu fui transplantada com ossos, em 2006, espero por este momento. Posso me lembrar, ao fechar os olhos, exatamente do instante em que cheguei ao centro cirúrgico e vi os médicos: Sérgio, Cláudio, Marco, Rinaldi, as anestesistas… Lembro das roupas azuis, dos tubos, dos cateteres, da perfeição astral… Lembro daquele momento em que me dispus a tentar o impossível, que, aliás, deu certo. Reaprendi a andar pela quinta vez… Hoje, estou tentando de novo, pela sexta vez.

 Em 2006 operei os dois quadris e, graças a doação de doadores cadáveres reaprendi a andar e a viver sem dor. E, de lá pra cá, cada segundo da minha vida dedico a divulgar que doar ossos é possível e que salva vidas. E agradeço aos familiares que autorizaram a doação de meus doadores, ainda que não possa saber quem são, em razão da legislação do Sistema Nacional de Transplantes (SNT).

 Graças a Deus, à campanha informativa que contou com o lançamento do “Diário de um transplante ósseo – na real, dois” – livro de minha autoria e lançado na III Semana de Valorização da Pessoa com Deficiência do Senado Federal, em 2007 – às entrevistas e à informação divulgada pela parceria Senado Federal e Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), o único dos seis bancos de ossos do Brasil que é 100% gratuito, a atual equipe do banco, coordenada pelo médico ortopedista Rafael Prinz (chefe) conseguiu ampliar em 36% a captação de ossos em relação ao ano de 2009. “Foram 15 doações de cadáver e 13 doações de doadores vivos (cabeças femorais), explicou o médico em conversa por e-mail, comigo.

 “Atualmente estamos em condições de atender aos pedidos externos, devido a melhora do nosso estoque, e já estamos encaminhando tecidos para transplante ortopédico em outros estados, como Minas Gerais e Santa Catarina”, divulgou.

 Médico: Saiba como receber o osso a ser transplantado

Para tanto, o médico transplantador (que deve estar cadastrado no SNT – Sistema Nacional de Transplante) deve entrar em contato com o banco de ossos e tecidos do Into para solicitar o enxerto e receber esclarecimentos dos papéis necessários. O hospital onde o mesmo irá realizar o transplante também tem que estar credenciado e autorizado pelo SNT.  “O transporte aéreo é gratuito para o local da cirurgia por meio de acordo com empresas aéreas parceiras”, atestou Prinz. 

 Pois é… O que era um sonho, graças a cada um de nós, está virando realidade. Clique e saiba mais sobre o Into. Lembramos que não é preciso haver um banco de ossos em cada Estado. O importante é ter doação porque, então, o osso pode seguir para qualquer local, já que não se trata de órgão, mas de tecido. E, portanto, pode ser transportado posteriormente a morte do doador.

 Saiba como adquirir o livro “Diário de um transplante ósseo – na real, dois”

No livro que escrevi explico que uma doação pode beneficiar a até 30 pessoas, e que o osso não dá rejeição – mas precisa passar por tratamento correto no banco de armazenagem, onde fica numa espécie de “quarentena”, a fim de reduzir as chances de infecção e de transmissão de doenças ao paciente a ser transplantado.

 Para adquirir o livro que está em sua segunda edição acesse AQUI. Entre com o nome da autora, Larissa Jansen, ou com o título da obra. Eles remetem o exemplar, a cerca de 30 reais, para o endereço informado. Na primeira edição foram distribuídos, por meio de parceria com o Senado Federal e com os Correios, mais de 5.000 exemplares, o que representa que cerca de 20 mil brasileiros foram informados da iniciativa.

 A segunda edição, cuja tiragem foi de 5.000 exemplares, conta com menos de mil exemplares para distribuição.

Petiscos

Perfil do SUS – Nesta semana, o portal G1, da empresa de Comunicação Globo, divulgou uma pesquisa do Instituto Nacional de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), do Poder Executivo. Entre outros dados, o relatório mostrou que a falta de quantitativo de médicos é o principal problema do Sistema Único de Saúde (SUS). Clique AQUI e confira a pesquisa.

 Trabalho para PCDs – Queridos amigos com deficiência, ATENÇÃO!!! Estão abertas as inscrições para o concurso ao Tribunal Regional Federal da 1.ª Região. Há vagas para PCD – pessoas com deficiência. Converse com seu médico se a sua doença se enquadra em doenças funcionais, e boa sorte! Confira mais informações e o edital em WWW.jfdf.jus.br ou WWW.trf1.jus.br.

 Maio – O ministério da Saúde, a Advocacia Geral da União e a Justiça Federal no DF realizarão um seminário, na capital federal, sobre judicialização da saúde. Confira a programação em breve, em WWW.jfdf.jus.br.

 Saúde – Nesta semana, foi aprovada a Lei orçamentária. Em 2011 a Saúde terá 77 bilhões de reais para distribuir em ações, sendo que 60 bilhões serão para ações e serviços de saúde direta.

 

Transplante ósseo chega à Cultura do Iguatemi/DF

No próximo dia 10 de outubro, em Brasília, a jornalista e autora do livro “Diário de um Transplante Ósseo – na real, dois”, Larissa Jansen, realizará evento na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi (Lago Norte).  A partir das 17h, fará breve explanação no Teatro Eva Herz, da Livraria, e, por volta das 18h, estará disponível para tirar dúvidas individualmente e autografar livros de quem desejar.

Desde que lançou esta campanha informativa sobre doação de ossos, em parceria com o programa Senado Inclusivo e o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), do ministério da Saúde no Rio de Janeiro, em 2007, pela III Semana de Valorização da Pessoa com Deficiência do Senado Federal, o número de doações do banco de ossos do Into subiu de 5 para 15/ano.

Informar é essencial para doar e receber ossos. Essa cirurgia pode ser a solução para pessoas com osteoporose e outras doenças degenerativas do aparelho músculo-esquelético que já têm próteses. Mais detalhes em www.into.saude.gov.br.

BANCO DE OSSOS

Atualmente, o Brasil conta com seis banco de ossos, de acordo com últimas informações obtidas do banco de ossos do Into, ao final deste primeiro semestre de 2010. Desses, 100% gratuito, apenas o Into (RJ). Os demais bancos cobram a armazenagem do osso. Para doar, informe seu familiar que autoriza a doação e, em caso de óbito, peça que eles contatem a central de captação e doação de órgãos e tecidos do seu município/estado.  Há telefone disponível na Internet e na lista telefônica. DOE OSSOS. DOE QUALIDADE DE VIDA.

Larissa em evento em Brasília (Agosto 2010)