Transplante Osseo na Real

Um diario sobre o tema

Arquivo de sao paulo

Fragmentos de Vida- meu novo livro

Car@s leitor@s,

Voltando ao blog depois de meses…

Meses intensos, muita correria, questões de saúde (como sempre rsrsrs).

Mas esse é um outro capítulo q eu conto mais tarde…

Petisco da semana!

http://mail.uol.com.br/attachment?msg_id=Mjk4NDQ&ctype=photo.JPG&disposition=inline&content_id=%3CD85AB3A4-42E3-4AB5-BE2B-A7368A79A9FE%2Fphoto.JPG%3E&folder=INBOX&attsize=93004

A boa pedida dessa semana eh um jabá (rsrsrs)

Enquanto o Serginho não chega, estou dando a luz a um filho de outra natureza… meu segundo livro: “Fragmentos de Vida – A sua poesia em pessoa”

E eh com muita alegria que eu vou lançar minha segunda obra literária na 22º Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que começa hoje!

Na tarde desta sexta-feira eu estarei na Bienal para uma tarde de autógrafos e para lançar o “Fragmentos”.

Depois de “Diário de um transplante ósseo- na real, dois”, é hora de cuidar desse novo bebê, que tem uma proposta diferente do meu primeiro livro… é algo mais intimista e pessoal. Fragmentos da minha vida, que eu, mais uma vez, compartilho com vocês!

Espero vocês lá!

Onde: Rua M. No estande da Editora Baraúna. Pavilhão de Exposições do Anhembi. Av. Olavo Fontoura, 1.209- Santana- São Paulo.

Quando: 10 de agosto. Às 18h

Fragmentos de Vida é vendido pela Editora Baraúna. Saiba como adiquirí-lo aqui

Abaixo copio um trecho das belas palavras do amigo Pedro Biondi:

O leitor acompanha a recuperação de Lala. A possibilidade de novas cirurgias, a dor física e um cotidiano regrado, com terapias, medicamentos e restrições, ainda estão na ordem do dia. Novamente há firmeza cidadã (política!) e informação útil a quem enfrenta os mesmos problemas. Mas o convite é para estar à janela com Lala. Ela está aqui para falar de amores, saudades, esperanças, futuros. Daí porque, embora a forma dos fragmentos varie e somente alguns sejam poemas propriamente ditos, ela chamou o conjunto de livro de poesia: a soma de textos e a vivência que os gerou como “uma poesia viva”. Poesia como estado de espírito, como disposição, energia, celebração. Também poderíamos chamá-la de vontade de viver, ou simplesmente de vida. Daí porque em Fragmentos de Vida ela tanto compartilha conosco, leitores, versos e cores de variados artistas: Frida, Picasso, Monet. De U2 a Manoel de Barros. Pessoa. Se o relato é o de alguém que, pela sétima vez, literalmente reaprende a andar, o que transcende isso, e que liga os 15 fragmentos, é a energia de alguém que, para além das demoradas recuperações, quer retomar a vida amorosa e os projetos – em especial a volta ao Rio e a adoção do filho Sergio (ou da filha Vitória), uma gravidez de cinco anos, como ela diz, em bonita imagem. Quer se jogar, viver com intensidade: Vale tudo. Vale amar ávida a vida. E interagir. Nesse sentido, a janela é a poesia. A vontade de se perder, como todo mundo. Mar à vista.

Ps: Fragmentos de Vida tem tem apoio da Dogs and Cats

Rio-Sao Paulo

Do RIO
Sentada na mesa de um cafe, na minha amada Rio de Janeiro, no Leblon, estou tc com vcs e pensando, ao passar os olhos pelas pessoas, em “quem sao? O que tem de diferente, que nos atrai ou repele?”

Nesta sexta-feira, em SP, ganhei um dos doces momentos que a vida nos brinda, mas diversas vezes “passa batido”: Aloisio e eu vimos a peca “doze homens e uma sentenca”. 

Bom teatro: drama e risadas se misturando. Excelente companhia; e um jantar tipico do sucesso que se sabe da cozinha paulistana.  E, para nao perdermos a essencia de nossa amizade… naquele bate papo pre especulo, ele me fez essa pergunta: o que voce viu nele, que te fez se apaixonar e amar?

Eu nao soube responder. Nao sei ate hoje,(risos), para ser sincera…

Essa tonica de nossa amizade, a filosofia, risos… Tao dificil racionalizar algo que sentimos, mas nao por logica?  O que eu vi nele? E o que nao vi noutrem? Tudo, mas ao mesmo tempo nada, risos. Aqui, descobri a polvora!

Entao…  resolvi contar isso, num espaco feito para apresentarmos saude, esperanca aqueles transplantados e que ainda aguardam sua chance, porque o transplante explica tudo isso. Simplesmente, num momento de dor, alguem se lembra de que outros estao vivos e pode ajudar, apesar da sua dor. Isso nao seria amor? O que viram em doar algo? Fazer a vontade de um morto que amamos? Ou seria uma tentativa de fazer o bem nao se sabe a quem?

Lembrei-me de um trecho do Diario de um transplante osseo – na real, dois- livro de minha autoria: toda forma de amor vale a pena.

Entao, acalantei meu insesante coracao que buscava uma resposta logica para algo ilogico: o amor. Nao o “como”,’o “por que”, o “ate quando”, como se eu estivesse respondendo o lide de uma reportagem que estou redigindo. Neste caso, o lide eh sempre “o que”, ou “quem”, porque ate o dia que conseguir definir o que e o quem, a chama estara acesa.

PETISCOS 
SAO PAULO- terra da garoa, sao paulo de gente boa… EncontrAR: Cerca de 20 pessoas deixaram as cobertas e o quentinho da casa e, peitando o reumatismo, o frio e a chuva-garoa, foram me ver num tradicional Cafe na Se! Muito bom ver quantas Artriticas juvenis, como eu, melhores do que eu! Muito melhores! Por isso insisto: Informacao eh essencial: dela buscamos ajuda e podemos decidir o melhor. 
Dificuldade: fisioterapia. Pessoal, facam os tradicionais – dos pes a cervical – e pronto – ja estamos garantindo a adequada lubrificacao das articulacoes.

RIO E SP: choque de realidade. Enquanto em Sao Paulo tive dificuldades em andar nas calcadas – muitas sem rampa -, o pessoal nao me esbarrava. Em contrapartida, num shopping de grande circulacao, taxi? Soh na chuva! E, de quebra, alguns atendentes e segurancas nao sabiam onde era o elevador: somente escadas rolante e convencional. Ja no Rio…
No Rio, como habitue, o carioca chega junto, puxa papo, te ajuda com coisas que caem no chao, cede o lugar na mesa… Mas, opa! No elevador voce nao entra nao, o espaco eh de quem chegou primeiro! Risos. 

PONTO +… Em ambos os lugares, acesso a cultura permitido pagando-se meia entrada, e ha transporte para cadeirante em preco acessivel. Acessibilidade ok!

                                Recorde de transplante de ossos pelo Into

TRANSPLANTE- Mas o que fui fazer em Sao Paulo? Falar de transplante osseo, claro! Concedi uma entrevista exclusiva para a Tv Brasil Saude Net, que rendeu dois programas, com meia hora cada. FIQUE LIGADO! No twiiter e aqui, em breve, a data de veiculacao.
RECORDES
HOJE, aumentou 80% aproximadamente a captacao de ossos pelo Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), unico dos cinco bancos de ossos atuando no Pais que realiza a cessao do osso de graca – sem cobrar a armazenagem. Essas sao informacoes do medico chefe do banco de ossos do Into, Rafael Prinz, que comemora comigo e com voces: 
“Em relação ao ano passado, já ultrapassamos o número de cirurgias, tendo atualmente 114 cirurgias realizadas com tecido proveniente do banco pelo país”, celebramos. O Projeto Suporte do Into leva os medicos capacitados a realizar o transplante de ossos a alguns estados sem essa “especialidade”, como o Para. 
NOVA FASE
As instalacoes do Into passam por processo de transferencia para a nova sede, maior e projetada para este atendimento. O banco de ossos esta em fase de instalacao na unidade sede, agora, na Avenida Brasil, em Sao Cristovam. Mas a nossa Justica, a fim de apurar possiveis irregularidades, parou a obra… E o povo eh quem paga, esperando por saude…. saude na eh perecivel, senhores juizes??? Nao eh objeto de liminares?

Me pergunto se a obra pararia caso tivessemos os filhos de algumas autoridades em vias de receber uma protese de quadril… Ele iria esperar a obra? Operaria num hospital em mudanca de sede?

Ai-ai… Sao Paulo e Rio, terra da garoa, Sao Paulo e Rio de gente boa.