Transplante Osseo na Real

Um diario sobre o tema

Arquivo para poesia

Fragmentos de Vida- meu novo livro

Car@s leitor@s,

Voltando ao blog depois de meses…

Meses intensos, muita correria, questões de saúde (como sempre rsrsrs).

Mas esse é um outro capítulo q eu conto mais tarde…

Petisco da semana!

http://mail.uol.com.br/attachment?msg_id=Mjk4NDQ&ctype=photo.JPG&disposition=inline&content_id=%3CD85AB3A4-42E3-4AB5-BE2B-A7368A79A9FE%2Fphoto.JPG%3E&folder=INBOX&attsize=93004

A boa pedida dessa semana eh um jabá (rsrsrs)

Enquanto o Serginho não chega, estou dando a luz a um filho de outra natureza… meu segundo livro: “Fragmentos de Vida – A sua poesia em pessoa”

E eh com muita alegria que eu vou lançar minha segunda obra literária na 22º Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que começa hoje!

Na tarde desta sexta-feira eu estarei na Bienal para uma tarde de autógrafos e para lançar o “Fragmentos”.

Depois de “Diário de um transplante ósseo- na real, dois”, é hora de cuidar desse novo bebê, que tem uma proposta diferente do meu primeiro livro… é algo mais intimista e pessoal. Fragmentos da minha vida, que eu, mais uma vez, compartilho com vocês!

Espero vocês lá!

Onde: Rua M. No estande da Editora Baraúna. Pavilhão de Exposições do Anhembi. Av. Olavo Fontoura, 1.209- Santana- São Paulo.

Quando: 10 de agosto. Às 18h

Fragmentos de Vida é vendido pela Editora Baraúna. Saiba como adiquirí-lo aqui

Abaixo copio um trecho das belas palavras do amigo Pedro Biondi:

O leitor acompanha a recuperação de Lala. A possibilidade de novas cirurgias, a dor física e um cotidiano regrado, com terapias, medicamentos e restrições, ainda estão na ordem do dia. Novamente há firmeza cidadã (política!) e informação útil a quem enfrenta os mesmos problemas. Mas o convite é para estar à janela com Lala. Ela está aqui para falar de amores, saudades, esperanças, futuros. Daí porque, embora a forma dos fragmentos varie e somente alguns sejam poemas propriamente ditos, ela chamou o conjunto de livro de poesia: a soma de textos e a vivência que os gerou como “uma poesia viva”. Poesia como estado de espírito, como disposição, energia, celebração. Também poderíamos chamá-la de vontade de viver, ou simplesmente de vida. Daí porque em Fragmentos de Vida ela tanto compartilha conosco, leitores, versos e cores de variados artistas: Frida, Picasso, Monet. De U2 a Manoel de Barros. Pessoa. Se o relato é o de alguém que, pela sétima vez, literalmente reaprende a andar, o que transcende isso, e que liga os 15 fragmentos, é a energia de alguém que, para além das demoradas recuperações, quer retomar a vida amorosa e os projetos – em especial a volta ao Rio e a adoção do filho Sergio (ou da filha Vitória), uma gravidez de cinco anos, como ela diz, em bonita imagem. Quer se jogar, viver com intensidade: Vale tudo. Vale amar ávida a vida. E interagir. Nesse sentido, a janela é a poesia. A vontade de se perder, como todo mundo. Mar à vista.

Ps: Fragmentos de Vida tem tem apoio da Dogs and Cats

Anúncios

Fogo


Fogo
Tudo que vejo durante a tempestade – fogo e poesia.
Poesia hoje tornou-se meu dia a dia.
Vejo no meio da tempestade desta reabilitação, cheia de incertezas, e de tão poucas certezas, o meu joelho que nao cicatriza. A placa que insiste em doer no frieza do meu joelho, da teriparatida e da luta contra a osteoporose.
Comecei a guerra, e por mais difícil seja, nao vou esmorecer. Cair sim, levantar tambem. Porque tudo na vida eh fogo, que abrasa o fogo do meu coração a encontrar o macio da tua mao. Que acalma o frio do meu joelho ao encontrar a tua visão, e que cicatriza cada dor do meu coração.
L Jansen

Verdades sobre a reabilitação….

Encontrei na pagina de abertura do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, INTO, noticia sobre reabilitação. Penso nas tres fases que considero essenciais para a recuperação: primeiro mês, recuperar. Segundo mês, e terceiro, fisio, fisio e fisio. Quatro e afins, se acostumar a nova realidade.

Vejo que terei de me submeter a nova cirurgia, a cada dia mais perto se encontra de meu hemisfério esse fato. Apesar da incansável fisioterapia, que faço de maneira sagrada de segunda a segunda, ainda que por vezes sozinha,  apenas com os pesos na perna, colocados por alguém próximo; apesar da teriparatida que iniciei segunda feira passada, e remédio esse no qual estou apostando todas as fichas na luta contra a osteoporose; apesar da melhora diaria na qualidade de vida – sinto meu corpo ainda fraco. Meu próprio cirurgiao pensa em esperar mais para poder retirar a placa, pois há vários fatores envolvidos. Meu lado físico, emocional, social, financeiro, meu trabalho, a vida.

 “A recuperação depende de cada paciente, mas acho possível que uma pessoa sem grandes danos ou lesões profundas na medula, se recupere totalmente com um bom programa de reabilitação”, afirma a fisiatra Eliane Araújo, chefe da Unidade de Reabilitação do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into).

Diversos profissionais estão envolvidos nesse processo como médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais e terapeutas ocupacionais. A equipe multidisciplinar tem como meta melhorar a vida do paciente no aspecto social, físico e psicológico. Esse trabalho pode ser iniciado antes mesmo de uma cirurgia. Este é o caso de pacientes que passam por uma reabilitação emocional como preparação para uma amputação.

Fonte: INTO

Ao longo da vida, pessoas como eu, com artrite e demais doenças crônicas, passarão por reabilitação diversas vezes. Somente eu já me reabilitei mais de sete vezes. E agora, ao retirar a placa, vou me reabilitar de novo.

Mas que venham as reabilitações e todos os desafios inerentes nela. Nao consigo dobrar o joelho, porque a placa se insere na lateral do meu joelho e nao me deixa dobra-ló? Sem problemas! A gente encara nova cir e corrige.

O joelho ainda dói? Vamos ganhar massa muscular e óssea, com a teriparatida, e interromper a dor.

E assim, mostrar ao meu filho que a vida eh bonita, eh bonita e eh para ser vivida…

Cancer: O II Fórum de Discussão de Políticas de Saúde em Oncologia reunirá os principais especialistas, gestores, organizações da sociedade civil e pacientes que se envolvem e são atuantes em questões relacionadas ao mundo do câncer. Dia 26 agosto. Em São Paulo. Dúvidas? entre em contato com  Dayane Azeredo: (11) 2503 7845 ou eventos@oncoguia.org.br

Recursos genéticos: 57º Congresso Brasileiro de Genética: http://t.co/Mo0R4SY.

HepatitesMS: via twiter, Doadores de medula óssea cadastrados em programas de transplantes devem ser vacinados contra hepatite A http://t.co/f6dYbkD

“Buscar na linha fria do horizonte a árvore, a praia, a flor, a ave, a fonte – os beijos merecidos da Verdade” (F.Pessoa).